Ronda sanitária e atividade delegada realizam patrulhamento em toque de recolher

Agora, ambos poderão autuar cidadãos e comerciantes que, por ventura, desrespeitem o decreto municipal.

Na noite da última segunda-feira (15), Castilho passou a ter uma fiscalização bem mais rigorosa no combate contra o avanço da Covid-19. Agora, os fiscais de postura e da vigilância sanitária contam com o apoio massivo da Polícia Militar, por meio da Atividade Delegada (sistema que utiliza policiais de folga, de maneira voluntária, para aumentar o efetivo na cidade). Um carro de som saiu em comboio com a Polícia Militar e a ronda sanitária, informado a respeito do toque de recolher, estabelecido pelo Plano São Paulo do Governo Doria.

Agora que a cidade segue à risca o Plano São Paulo de combate à Covid, além do decreto municipal que endureceu as regras para funcionamento do comércio, além da permanência de pessoas em locais públicos a partir das 20h até às 5h, o patrulhamento feito por esses agentes, tem como objetivo orientar o cidadão a não permanecer nas ruas ou gerando aglomerações em qualquer lugar.

“O que nós queremos é orientar o cidadão a não permanecer na rua após horário determinado, aglomerar ou desrespeitar o decreto municipal. Precisamos combater o contágio, principalmente dessa variante que é muito mais forte. A municipalidade não tem interesse em prejudicar o cidadão, mas precisamos de medidas mais rígidas, impopulares, para tentar evitar que seja necessário usar um leito de UTI, por exemplo, o que não está sendo fácil encontrar”, destacou o assessor de relações institucionais da Administração, o advogado Dr. Jamil Kassab.

O Capitão Valdomiro, da Polícia Militar, esteve presente neste primeiro dia de ronda. Segundo ele, a intenção sempre será a de orientar o cidadão, mas em casos mais extremos, a aplicação de sanções (multas) também é um procedimento permitido, e que deve ser usado, se necessário.

A ronda sanitária será acompanhada pela Atividade Delegada em todos os dias que houver necessidade, auxiliando em denúncias de aglomerações, festas e irregularidades previstas em decreto.

Assessoria de Comunicação.