Secretaria de Saúde castilhense explica sobre o fumacê

CASTILHO – A prática conhecida como Fumacê que foi largamente utilizada para o controle da dengue nos municípios, não é mais permitida pelo Ministério da Saúde.

Segundo o Ministério Foi comprovado que o fumaçê é pouco eficiente no combate ao Aedes Aegypti, transmissor da dengue, além de causar danos ambientais, como a eliminação de abelhas e outros insetos benéficos ao homem.

Segundo a SUCEN – Superintendência de Controle de Endemias do Estado de São Paulo, um dos motivos porque se controla o uso do Fumacê é, justamente, por não ser a estratégia mais eficiente.

O inseticida mata o mosquito adulto apenas se estiver voando, se atravessar a fumaça e se o vento não estiver muito forte.

O que representa, na prática, uma parcela muito pequena da população total de vetores. Isso porque, normalmente, o mosquito se esconde na cortina, debaixo da mesa ou da cama, locais onde o Fumacê não vai atingir.

Tendo em vista que toda região está com aumento dos pernilongos, a SMS Castilho solicitou a SUCEN apoio para controle dos pernilongos.

Está sendo aguardado avaliação do Engenheiro da SUCEN afim de avaliar o que será feito para minimizar os pernilongos.

Ressaltamos q este período de chuvas e calor é o período de reprodução de pernilongos. Contribua com sua cidade mantenha seus quintais limpos, livres de criadores.

Agradecemos a compreensão e colaboração de todos.